Postagens

A Piedade Cristã

Imagem
"O exercício físico é de pouco proveito; a piedade, porém,  para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida presente e da futura" (1 TM 4.8)Interessante nesta palavra do apóstolo Paulo ao seu discípulo Timóteo, é que este, sendo jovem cooperador do Evangelho na cidade de Éfeso, é desafiado a expressar seu verdadeiro caráter religioso e devoção sincera a Deus, não meramente no aspecto externo (muito comum na religião através de suas indumentárias e rituais), porém, numa vida íntegra diante de Deus e dos homens.Não apenas demonstrar ser "bonzinho" (o que nenhum ser humano o é) perante aos descrentes:
"Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza." (1Tm 4:12).Não é apenas aparentar religiosidade diante dos homens:
"Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade." (2 Tm 2:15)Não é apenas fugir…

Todos os dias te darei graças.

"Todos os dias te darei graças e sempre te louvarei." (Sl 145.2)

A Igreja de Cristo deve guardar a algum dia semanal de descanso religioso? Caso positivo, deve ser o sábado ou o domingo?
Não tenho nenhuma pretensão de que este breve artigo posso esgotar esta questão teológica, mas, vejamos os pontos a seguir:

1) Certa vez, estudando a lição da escola bíblica dominical (Lição nº 11 do 4º Trimestre de 2011, ponto 3 do tópico III - CPAD)*, com o título “O dia de adoração e serviço a Deus”, fui surpreendido com colocação do comentarista: “Então, porque guardamos o domingo?”. Fiquei admirado, pois, eu mesmo nem sabia que “guardava o domingo” (sendo assembleiano desde minha conversão, 1993, nunca recebi tal ensino)! E mais surpreso ainda, pelo comentário de nº 3, da nota de rodapé da minha Bíblia de Estudo Pentecostal (CPAD), página 1410, referente a passagem de Mateus 12.1, dizendo: “…o dia de adoração (o domingo) é um sinal de que este [o povo de Deus] pertence a Cristo.” Ou sej…
Imagem
Uma sucinta reflexão sobre a visão cristã diante da realidade da morte conforme a Palavra de Deus: I Ts 4.13-18; Lucas 16.23-31; Hb 9.27; Jo 11.25,26; Rm 6.23.




"Não desejamos, no entanto, irmãos, que sejais ignorantes em relação aos que já dormem no Senhor, para que não vos entristeçais como os outros que não possuem a esperança. Porquanto, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, da mesma maneira devemos crer que Deus, por intermédio de Jesus, trará juntamente com Ele os que nele faleceram" (1 Tessalonicenses 4.13,14).

Carta aos jovens

Foi dito a vocês: “Satisfaçam seus instintos e vocês serão felizes!”
Mas, a Palavra de Deus diz: “Bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mateus 5.8). “Deus julgará os impuros e adúlteros” (Hebreus 13.4).

Foi dito a vocês: “Ouçam música em alto volume e vocês se sentirão bem!”
Mas, a Palavra de Deus diz: “Em vos converterdes e em sossegardes, está a vossa salvação; na tranquilidade e na confiança, a vossa força...” (Isaías 30.15). “Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração...” (Colossenses 3.15). “instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração” (Colossenses 3.16).

Foi dito a vocês: “Desliguem seu raciocínio, relaxem e não sejam críticos! Pensem positivamente e expandam sua consciência através da meditação, das drogas e de técnicas psíquicas”.
Mas, a Palavra de Deus diz: “sede, portanto, criteriosos e sóbrios a bem das vossas orações” (1 Pedro 4.7). “Sede só…

Quem dizeis que eu sou?

"E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem? E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; E eu te darei as chaves do reino dos céus; e tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. Então mandou aos seus discípulos que a ninguém dissessem que ele era Jesus o Cristo." (Mateus 16:13-20).

Após curas vários enfermos (Mt 15.30) e realizar o grande milagre da multiplicação dos pães e peixes…

Hipocrisia babilônica

Eis uma "utilidade" da novela global Babilônia (2015): revelar hipócrisia, desinformacao e alienação evangélica.

1) Como somos HIPÓCRITAS, pois, uma ruma de "crente" (que normalmente assistem todas a novelas), agora estão "revoltados" com uma cujo o título é BABILÔNIA. Como se todas as outras novelas não induzisse aos telespectadores aos mais baixos padrões de moralidade e ideologias anticristãs; Vamos nos revoltar com o mesmo ímpeto contra a fornicação, adultério, fofoca, glutonaria, dissenções, heresias, etc? ("Amém ou não amém, igreja?"). Enquanto muitos estão perdendo o tempo focados numa novela, há uma verdadeira babilônia dominando mentes e corações que acreditam estar indo para mais perto de Deus, porém, estão apenas subindo as escadas da Torre de Babel.

2) Como somos DESINFORMADOS, pois, a NATURA foi demonizada por ser patrocinadora oficial do diabo. Puro sensacionalismo do deputado Marco Feliciano, que está de chamego com a Jequiti. E o…

E o espírito natalino?

Melodias. Ceias. Presentes. Decorações. Quantos símbolos e significados! Quantas expectativas envolve o natal! Para alguns apenas um feriado introdutório às festas de final de ano formando um medley: "boas festas". Para outros, um momento especial, familiar, mas sem um sentido religioso. Apenas um evento social. Mas, há ainda um remanescente que busca o sentido do natal. Que tentam fazer um paralelo desta tradição com a narrativa bíblica registrada nos evangelhos de Mateus e Lucas.
Pode até ser que em algum momento da história o 25 de dezembro nos remetesse ao dom inefável de Deus para com os homens: Jesus. No entanto, o que a nossa geração presencia é uma miscelânea de significados e sentidos. O mais destacado é o mero comercialismo, necessário para o aquecimento econômico. Porém, inevitavelmente, promotor de uma exclusão social cada vez mais crescente no mundo. Enquanto o natal já levou boa parte de nosso 13º, muitos nem tem esse "privilégio", pois, nem uma renda…